segunda-feira, 28 de abril de 2008

A lagartinha...

Outro post totalmente nonsense?
Crianças na fase dos dois anos de idade adoram assistir mil vezes a mesma coisa. Não era à toa que os Teletubbies sempre encerravam o episódio com o clássico "De novo!", para repetir tudo outra vez.
Na condição de pai que procura estar o máximo possível na companhia dos filhos, não só fisicamente próximo, mas também interagindo com os seus assuntos (que, não devemos esquecer, para eles são seríssimos), tive de assistir já umas 200 vezes o episódio abaixo, e terminei sobre ele fazendo umas reflexões filosóficas em torno da realidade, da verdade e da importância da comunicação e do conhecimento. Assistam. Será, na pior das hipóteses, muito divertido:






Não estou brincando. Ou, melhor dizendo, não estou só brincando. É impressionante a quantidade de vezes em que isso acontece. Procuramos a "lagartinha", que já não é mais a mesma, mas a nossa incapacidade de compreender a mudança na realidade faz com que desnecessariamente criemos diversos problemas.
Quem já não se viu, guardadas as devidas proporções, naturalmente, na situação do Bob esponja calça quadrada, na de um daqueles peixes genéricos desesperados, ou na da Sandy?
A moral da história não é, como à primeira vista pode parecer, o quanto o Bob Esponja é idiota. Há algo subjacente. O quê? Alguém arrisca um palpite?
Devemos lembrar que ele - e todos os outros personagens, com exceção da Sandy - são aquáticos, e não conhecem lagartas nem borboletas. Não está dentro da pré-compreensão deles, para usar um conceito tipicamente gadameriano. E o que mais?

3 comentários:

George Marmelstein disse...

Hugo,

recomendo que assista ao filme "Horton e o mundo dos quem".

É filosofia pura. Estilo Matrix.

George

Hugo de Brito Machado Segundo disse...

Obrigado pela dica, George. O filme é mesmo muito bom.

Enia Carine disse...

Pessoas, esse filme é mesmo muito filosófico, divertido, corajoso e pra crianças:) o que não devemos deixar de ser nunca...

Ocorreu um erro neste gadget