terça-feira, 11 de novembro de 2008

Justiça, ciência e democracia

Às vezes nos surpreendemos com certos autores. Outro dia encontrei essa passagem, em um autor do qual jamais esperava afirmação assim: "la justicia es para mí aquello bajo cuya protección puede florecer la ciencia y, junto con la ciencia, la verdad y la sinceridad. Es la justicia de la libertad, la justicia de la paz, la justicia de la democracia, la justicia de la tolerancia."

Alguém sabe, sem consultar o oráculo, de quem é a frase?

4 comentários:

diogobacha disse...

Hugo creio que essa frase para ter te surpreendido tanto pode ser de Hans Kelsen. Se for? Qual o livro? Se não for, de quem é a autoria e qual o livro também?
Seja la quem relmente escreveu essa frase, a verdade é que de fato a justiça deveria representar sempre a tolerância, a paz e, sobretudo, a democracia. Porém, ao menos em terrae brasilis, a justiça representa a elitização, a burocracia e a desonestidade.
Abraços HUGO
É a primeira vez que posto mas acompanho seu blog desde há muito tempo

Hugo de Brito Machado Segundo disse...

Caro Diogo,
Vou manter os leitores curiosos por mais um tempo. Depois, se não descobrirem, digo de quem é a frase.
Você tem razão quanto a alguns defeitos que temos por aqui. Mas, não sei se felizmente ou infelizmente, eles não parecem ser exclusividade nossa. Estão, em maior ou menor grau, em toda parte.
Além disso, precisamos separar o ideal do concreto, ou o ser do dever ser. Democracia, paz, tolerância e liberdade são, como desdobramentos da justiça, ideais, a serem buscados mas nunca inteiramente atingidos... O fato de a realidade não ser assim não significa que não deva ser assim.

diogobacha disse...

Hugo,

apenas acho q a justiça, pelo menos em um Estado Democrático de Direito, deveria começar pela democracia. Uma Justiça que não represente a vontade de seus jurisdicionados, é na verdade uma tirania dos juízes. Concordo plenamente que devemos separar o ser do dever ser e, talvez, nunca se consiga almejar os ideais de paz, tolerancia e liberdade, mas a democracia é o inicio da justiça.

Hugo de Brito Machado Segundo disse...

Diogo,
Concordo. A democracia é o início da justiça. Se ela, a justiça, é "subjetiva", variando no tempo e no espaço, nada melhor do que cada sociedade escolher livremente a sua, não é mesmo?

Ocorreu um erro neste gadget